Consultoria nos departamentos de peças e serviços

Etapas do processo de consultoria em Pós-Vendas

Etapa 1 – Diagnóstico para identificação de métricas de performance em serviços e peças

(Detalhes dos itens de diagnóstico na sequência).

Etapa 2 - Análise dos resultados e implantação de Plano de Ação

Com base na análise dos resultados será proposto um plano de ação para ser validado pelo gestores para implantação no pós-vendas.

Neste plano de ação serão especificados as metas de indicadores.

Nesta passo teremos reunião com os gestores detalhando as ações a serem implementadas.

Etapa 3 –Acompanhamento e treinamento

Nesta fase serão implantadas as mudanças e as equipes serão treinadas. Os treinamentos recomendados são:

Gestores

  • Gestão do Departamento de Peças
  • Gestão do Departamento de Serviços

Consultores de serviços

  • Criando atitudes vencedoras para venda de serviços

Balconistas e vendedores de peças

  • Dinamizando o balcão de peças

Etapa 4 – Auditoria & apoio

Auditoria para acompanhar a evolução das métricas e eventuais correções das distorções.

Indicadores do Departamento de Serviços

Itens do diagnóstico para identificação de métricas de performance em serviços. Estes indicadores variam entre as marcas.

Análise da capacidade de produção

• Capacidade instalada

• Capacidade produtiva

Neste primeiro passo vamos analisar a capacidade instalada e a de produção para identificarmos quantos veículos podemos atender nas instalações atuais com equipe hoje.

Capacidade instalada

A Capacidade Instalada é o potencial físico de atendimento da oficina com a equipe que temos hoje. Ou seja, considerando o tamanho da nossa oficina, o número de box’s disponíveis e a produtividade de nossa equipe, quantos veículos podemos atender num determinado período, e assim passamos a ver oportunidades de trabalhar para aumentar o número de passagens ou vendas adicionais.

Capacidade Produtiva

A Capacidade Produtiva é a capacidade operacional de atendimento da oficina. Ela leva em conta a quantidade de produtivos, a jornada de trabalho e o TMRa.

Depois de entendermos nossa capacidade de produção, vamos entender a demanda atual da nossa operação, quantos clientes atendemos, quanto vendemos.

Passagens e faturamento

Este é mais um passo para conseguirmos avaliar uma operação e visualizar como podemos melhorar, onde devemos concentrar esforços, entender e saber como estão nossas vendas.

Passagens

É a quantidade de atendimentos de veículos dentro de um período determinado.

Observações:

  • Não se faz a contagem de passagens por quantidade de Ordens de Serviços abertas (as vezes o mesmo carro têm mais de uma OS aberta e isso pode gerar uma distorção no indicador).
  • Todos os veículos atendidos devem ter Ordens de Serviços.
  • No cálculo de passagens precisamos descontar as passagens de garantia e ordens internas.

Faturamento

É a soma dos valores vendidos pelo departamento de Pós-Vendas do Distribuidor, sem descontar os impostos ou seja a soma de todas as Notas Fiscais emitidas pelo departamento de pós vendas.

Análise do aproveitamento das horas

  • Horas Disponíveis
  • Horas Vendidas
  • Horas Aplicadas
  • Horas Perdidas

Os indicadores de aproveitamento das horas nos ajudam a entender como está a nossa equipe. Se estamos vendendo tudo que podemos, se estamos vendendo mais do que podemos entregar, quanto tempo estamos trabalhando e quanto tempos estamos perdendo, por que horas perdidas representam prejuízo para a operação.

Performance dos produtivos

  • Produtividade
  • Produtividade Efetiva
  • Eficiência
  • Tempo médio de reparo aplicado
  • Tempo médio de reparo vendido
  • Produtividade da Capacidade Instalada

Análise dos resultados

  • Faturamento por passagem - Ticket Médio
  • FP - Faturamento por Produtivo
  • TXOB – Taxa de Mão-de-Obra Obtida
  • CHPO – Custo da Hora Produtiva da Oficina
  • PE – Ponto de Equilíbrio

Análise dos indicadores do departamento de peças

Itens do diagnóstico para identificação de métricas de performance em peças. Estes indicadores também variam entre as marcas.

  • Número de Itens Controlados
  • Valor Total do Estoque Controlado
  • Número de Itens NE (Não Estocáveis)
  • Valor das Peças NE
  • Vendas Líquidas (anualizadas)
  • Lucro Bruto (anualizado)
  • Custo das Vendas (anualizado)
  • Margem de Lucro Bruto
  • Estoque (DEF$)
  • Valor do Estoque Reposição
  • Giro Bruto
  • Compras P/ Estoque da Fábrica (AN)
  • Compras P/ Estoque Outras Fontes (AN)
  • Compras P/ Estoque Não Originais (AN)
  • Compras P/ Estoque Outras Linhas (AN)
  • Total de Compras P/ Estoque (AN)
  • Desempenho do Pedido
  • Giro Verdadeiro
  • Excesso de Estoque
  • Peças de 7 a 12 Meses S/ Vendas $
  • Peças de 7 a 12 Meses S/ Vendas %
  • Peças a + de 12 Meses S/ Vendas $
  • Peças a + de 12 Meses S/ Vendas %
  • Peças < 13 Meses Nunca Vendidas
  • Demanda Total de Vendas
  • Compras de Emergência
  • Vendas Perdidas
  • Nível de Serviço
  • Desempenho do Estoque
  • Meses/Dias de Cobertura
  • Taxa de Mudança
  • Lucro Líquido do Departamento De Peças
  • Despesas c/ Pessoal (%LB)
  • Produtividade
  • Cobertura Fixa

Se você quer conhecer um pouco mais sobre o Programa de CPO envie um e-mail para nilson@megadealer.com.br ou ligue para 11- 99222 0922.

Peça mais informações